Paróquia São Vicente de Paulo

Palavra do Padre

16 DE JUNHO DE 2019

Os mandamentos de Deus


Quando falamos de mandamentos achamos que estamos diante de uma imposição de alguém que quer tirar a nossa liberdade. Esta conotação está muito distante do verdadeiro sentido que podemos extrair dos mandamentos de Deus para nós. Ao nos dar os mandamentos, Deus não quis tirar a nossa liberdade; ao contrário, quis nos dar a verdadeira liberdade - aquela que nos faz construir a vida feliz.

É importante lembrar que no livro de Deuteronômio (Dt 11,16-32) o Senhor nos apresenta dos caminhos: um da vida e outro da morte. São dois caminhos que se abrem na nossa frente - um caminho de bênção e outro de maldição. Um caminho estreito, difícil, mas com um fim glorioso, de grande bênção e satisfação.  Este é o caminho da obediência ao Senhor, através do qual Ele nunca nos deixará. Neste caminho a vida é construída seguindo as orientações do Senhor. Não se faz nele a própria vontade,mas a vontade daquele que nos conhece e sabe o que é melhor para as nossas vidas. Numa analogia, podemos dizer que os mandamentos funcionam como sinais de transito que nos orientam para chegar com segurança a um determinado lugar.  Quando se colocam sinais em um transito, o objetivo não é tirar a liberdade, mas sim proteger o transeunte dos perigos e de orientá-lo para que não se perca. Assim, os mandamentos são formas carinhosas de Deus para nos orientar no caminhar da vida.

No caminho da morte os mandamentos não fazem sentido, pois não há uma preocupação em viver da melhor forma possível, em construir a verdadeira felicidade. Apenas se busca o viver para satisfazer a própria vontade. É o caminho da morte porque não há uma abertura para uma vida para além desta. Vive plenamente o "Carpe Diem" (aproveite seu dia) sem uma finalidade nobre, sem um propósito que realmente oferte sentido à existência. Na cultura atual, cultura hedonista, as vidas são construídas, orientadas pela vontade. Contudo, a vontade é cega. Ela não consegue compreender o que é o melhor e nem prever as consequências de nossas escolhas. Assim, as pessoas que vivem no ditame da vontade se perdem, caminham para a morte, tanto física como espiritual. Já aqueles que são orientados pelo dever, por uma liberdade orientada pelo que se deve, constroem sua vida na rota do melhor.  Nesse sentido, são Paulo nos recorda que tudo podemos, mas nem tudo nos convém. Então, o que podemos? Podemos realizar tudo que dá vontade. Mas, o que nos convém? Tudo que está em consonância com os mandamentos do Senhor -  portanto, tudo que está no âmbito do melhor.

Um dia um jovem rico perguntou a Jesus o que era preciso ele fazer para ganhar a vida. A resposta do Senhor foi direta: viva os mandamentos, sobretudo o do amor. Este jovem não estava preocupado com o Carpe diem, mas com uma vida de plena de felicidade: a vida eterna. Para aqueles que desejam algo a mais do que o viver essa vida, para aqueles que desejam a coroa da vitória, o desafio é claro: manter-se no caminho da vida, esforçar-se por seguir os mandamentos do Senhor, que deseja que todos se salvem e que ninguém se perca. Assim, os mandamentos são bússolas para as nossas vidas, nos conduzem para o bem viver neste mundo e ao mesmo tempo nos preparam para um mundo vindouro.



Rádio Online

Santa Missa ao Vivo

Vídeo da Semana


Convite

Facebook